Pular para o conteúdo principal

Postagens

SE FOR PAIXÃO...?!

Então não há razão, eis a questão
E pra que explicação?!
Se é paixão, então é assim
Nem não, nem sim!
Talvez, quem sabe, sei lá, vou pensar?!
Se for paixão, pode ser perigoso, danoso;
Proibido, mas gostoso!
Pode ser tudo ou nada!
Se é paixão, me dê a sua mão que eu posso cair!
Se for paixão, eu não quero saber
Não tenho escolha, não tenho saída
E querer é poder!
Se não for paixão, eu não sei o que é!
Mas sei que é desse homem para uma certa ou 'errada' mulher!
Se é paixão, pra que discutir?!
É melhor se entregar, é melhor se amar,
Fechar os olhos, selar o beijo e com a lua seguir!

Postagens recentes

SEM AMOR

Seria possível para alguém viver sem amor...?!
Viver sem beijos, abraços ou sorrisos...?!
Viver sem alegria, sem direção,
Apoio ou uma razão de ser...?!
Como seria possível alguém viver sem amor...?!
Se o amor constrói, tem força, chama e calor!
Como seria possível se viver sem o amor
Já que o mesmo é a própria vida!
Sem amor, sem você, sem 'porquê'
Não me vejo sem amor, não vivo sem amor...!
E sem amor pra que viver?!
A vida como seria sem graça, sem brilho, sem esperança
E sem cor!
Um mundo sem amor, desértico como um peito vazio
E um jardim sem flor!
Não consigo e nem quero imaginar...
Pois sei que sou feliz por ter alguém para me amar!
Alguém que também amo já que o amor também é uma troca
Troca de afeto, confidências, olhares e salivas!
Sem o amor de mãe, de irmã, de puta ou de Deus...!
Sem amor não dá pra viver, não dá pra seguir, não dá pra ser, 'não dá prazer'!
Por um amor se vai a guerra, se faz loucuras e se vence a morte!
Sem amor não se respira já que o me…

O MORRO DO GIRANTE

No livro empoeirado e esquecido da memória,
me vejo escalando o morro do Girante.
Com os meus amiguinhos, atingindo o topo da alegria...
da alegria que se amontoava em nosso caminho tão infante!
Na aurora de tempos idos, vividos, 'nem tanto' sofridos, 
nos quais ainda possuía e era você e seu vestidinho floral 
E aquele sorriso incansável!
E onde está você agora para me namorar e fazer acreditar
nos super-heróis ou pelo menos na felicidade?!
Nos atirávamos do morro e não encontrávamos o chão, 
pois os sonhos nos davam os poderes de seu lúdico santo
para voar!
Você namorava a todos nós e nos lambuzava com os seus beijos
que hoje tanta falta me fazem.
E agora já descemos do Morro do Girante e subimos os degraus
do tempo, mas aquela menina infância ficou para trás.

O ETERNO MANDAMENTO

Dos Mandamentos de Deus, o amor é o maior!
O amor é o maior e mais belo, mais fácil e ‘gostoso’ de se cumprir!
Feliz daquele ou daquela que está cheio de amor pra dar!
Que vive, morre ou apenas chora por amor
Para uma hora ou outra surgir alguém para lhe consolar!
É uma Mandamento de Deus, mas quem manda é o coração!
É puro e tão certo apesar de não ser regido pela razão!
O amor constrói por vir acompanhado daquela peça que falta!
O amor não falha por vir de Deus em sua perfeição, poder e desígnios!
É preciso amar, está escrito!
Não está especificado quem, não se precisa de um 'porquê',
Não se questiona quem deu a ordem, mas se sabe instintivamente
Como fazer e que essa é a solução.
Dos Mandamentos de Deus, o amor é o melhor...!
Melhor que o ódio, melhor que a guerra, melhor que venha, que apareça,
Que nunca esmoreça, que sempre aconteça e nunca se acabe!
É um sentimento, algo, alguém, uma força e tudo numa vida.
Não se mede, não se compra, 'não se escande', não se ex…

E O AMOR SE FEZ CARNE...

O amor se fez carne vindo em primeiro lugar,
antes de qualquer palavra e se dando à primeira vista!
O amor se fez carne na figura daquela pessoa amada
com as marcas na pele por ela deixada,
com os beijos, abraços, a alegria e tudo que se sente,
com seus gemidos só de prazer e cicatrizes
deixadas n'alma e sempre latentes!
Ele se fez carne e se tornou mais do que um sentimento...
Ganhou vida, formas, jeito, trejeito, sujeito, substantivo,
adjetivos e um ‘nome próprio’!
O amor se fez carne e é o próprio verbo quando posto em prática,
se conjuga em qualquer tempo e se tem uma 'conjunção carnal'!
O amor se fez carne e se faz presente em carne, osso e tecido
na figura de uma mulher com o seu vestido ou saia de parangolé!
O amor se fez carne e então se fez...
Se fez como Deus manda, se fez poesia, refez minha vida,
se transfigurou num ser, num ente e me completou!

AD AETERNUM

Talvez algum dia eu deixe de amar você!
No dia em que deixar de ser tão bela, boa, meiga,
Especial e essencial!
Nesse mesmo dia você não estará com aquele vestido,
Não terá esse semblante e não verei o seu sorriso
Assim como o sol!
Será o pior dia dos meus dias, e minhas noites de sono
Deixarão de existir!
Espero que este dia nunca chegue ou que tudo seja eterno
Até ele chegar!
Não quero deixar de amar você e nem deixar de te amar!
Só deixo de amar você quando você deixar de ser assim
E deixar de ser você...!
Quando esse mar secar e a lua não aparecer...
Vou deixar de amar você no dia de 'São Nunca' numa tarde
Desse mesmo dia que nunca há de alvorecer!

O MEU ÚLTIMO POEMA

Este é o meu último poema!
É o último poema depois de tantos...!
É o último e ainda não é uma obra prima
E talvez nem mesmo chegue a ser 'um poema'!
O último poema de quem ainda continuará vivendo,
Aprendendo e tentando aprender a fazer poesia!
Último no qual eu falo de flores, canhões, vida, morte,
Severina, veredas e sertões...!
Último de minha autoria, mas que não será o primeiro a não ter citações!
Acho que de tudo já falei e em tudo já pensei, de tudo já fiz,
E um bom combate imagino que também lutei!
Um poema que será o último no qual falarei sobre Adélia, seus 'caracóis',
Sua longa saia caqui e de 'tecido utópico', de Adriana e Zanza com seus shortinhos clochards
e de ‘outros babados’... de uma ‘certa Solange’ com seu vestidinho verde-escuro, de outras cores e outras histórias passadas e tão minhas!
Será o último, mas não o primeiro que não finjo, engano e me engano,
E convenço o mundo do 'Nero que sou'!
O último como as últimas palavras de um ‘…